10 fev

O CorteQuando é efetuando um corte, durante uma seção de psicanálise, está-se trabalhando a transformação, ou mudança no comportamental de indivíduo. À partir daí, quando o paciente passa a Ter a condição de ouvir seu róprio discurso, analisa-lo e tirar conclusões positivas sobre o que fez o que deve para ao menos amenizar sua jornada.O ato do corte em si nada irá representar se não levar o paciente à reflexão. A escuta de si mesmo é o fator que irá produzir os efeitos nescessários para a mudança. Logo se o psicanalista não tiver uma sensibilidade que lhe permita intervir na hora certa de maneira correta , não irá ocorrer nada . a sessão não passará de um mero encontro entre ambas as partes e poder-se à dizer que um bate-papo com um amigo pode trazer benefícios maiores que uma escuta analítica deficiente.Deve o psicanalista lembrar-se sempre de que sua função é auxiliar o paciente a educar-se, ou seja, a ouvir seu próprio discurso, que sua intervenção é extremamente importante, mas simplesmente para leva-lo à reflexão, não deve interpretar o que o discurso do paciente diz e, não deve também posicionar-se como mero ouvinte. Além do corte no discurso, deve procurar levar o paciente a discursar, pois é nescessário que o mesmo sintam-se motivado e á vontade para falar.

É preciso que tenha muito cuidado na interpretação de um sonho ou não. Lembrar-se sempre que por mais absurda que seja na interpretação do discurso, pois também pode levar à motivações errôneas, quer seja na interpretação de um sonho ou não. Lembrar-se sempre que por mais absurda que seja a fala do paciente, ela naquele momento corresponde à realidade que estar vivendo em sua mente, suas “fantasias” com certeza irão leva-lo ao descobrimento de algo importante para a satisfação ou resolusão de um desejo ou problema.

Para o analista tudo tem que ser levado em consederação. É um erro não proceder desta forma, e é inportante que sejam colocados certos limites ao analisando, porque se ele veio até alí em busca de uma solução, deverá ser então conscientizado de que há regras que desera ser seguidas e é o analista que tem que determinar isto.

Portanto o analista deve estar consciente de que :

  • Sua escuta é importante;
  • Que é preciso motivar o analisando a manifesta-se;
  • Deve estar atento a tudo o que o analisando diz ou faz
  • Saber que tudo que ouve ou vê é precioso; e
  • Saber a hora certa de investir.

Wilson Rosa
Pedagogo, Estudante de Psicanálise
Telefone: 3258-3133 ramal 205
Trabalho de Conclusão de Curso – TCC de Introdução à Psicanálise – Dezembro de 2002

Deixe um comentário