10 fev

Delírios e Alucinações

Por que as pessoas deliram? Por que tem alucinações?

A grosso modo pode-se dizer que alguém delira ou sofre alucinação quando ele toma fatos imaginários como reais, privando-se de entendimento ou razão.

O que envolve; o que está por trás das imagens criados por um psicótico (aquele que sofre alterações que perturbam sua relação com os códigos instituídos pela realidade objetiva) no momento em que ele está “viajando” em um mundo imaginário?

Quando certas pessoas se deparam com uma situação, uma realidade à qual não estão preparadas, ou não têm estrutura para suportar ou superar o que está acontecendo, elas buscam um meio de se protegerem para não sofrerem maiores impactos desta situação.

Há geralmente uma sobrecarga que recai sobre as pessoas que deliram, justamente em um momento em que ele é levado a fazer algo de que em seu passado não tivera condições de realizar e cuja não realização de alguma forma veio a causar-lhe certa frustração e acabou por barrar-lhe o caminho. Como bem foi visto por vários estudiosos, a observação do caso do Dr. Schreber bem ilustra este caso. Como ele, o psicótico cria uma “nova realidade” para poder suportar um fardo que lhe é muito pesado. Quando da possibilidade de um tratamento psicanalítico nos é possível observar que os sonhos, os delírios estão ligados a uma situação não resolvida, quer seja como o Dr. Schreber que não pode ser pai, ou outro motivo, o psicótico cria um mundo novo a sua volta, no qual ele tem a solução não só para seus problemas, mas muitas vezes para os problemas do mundo em que vive.

Mas, se ele não realizou algo que o vem atrapalhando pela vida afora; o que faltou? O que fazer?

Faltou-lhe a realização do desejo, nas alucinações e nos delírios ele busca esta realização, pois que nestes instantes, ele pode satisfazer-se.

A solução irá depender de um bom trabalho de análise, onde um psicanalista realmente sério e um analisando com vontade de superar suas dificuldades estejam imbuídos do “desejo” de fazer o melhor para que este processo venha a ter uma boa solução. 

Ricardo Eduardo Delfino
Trabalho apresentado na Jornada no Fórum de Santo Amaro
em São Paulo nos dia 15 e 16 de abril de 2004

Deixe um comentário