Deixem seus filhos crescerem

Alguns pais se queixam de que seus filhos são infantis, imaturos e irresponsáveis. Que não estudam, não cuidam de seus pertences, de seus horários ou não trabalham. Dizem que “não aguentam mais” levá-los de um lado para outro, como se fossem seus “motoristas”. Nos procuram para atender a seus filhos, pois acreditam que eles estão com problemas graves. É verdade que esses filhos estão com problemas, mas também é verdade que esses pais não escapam disso. Pois, acrescido ao fato de que sofrem as consequências desses comportamentos, na maioria das vezes o comportamento dos filhos é decorrente do comportamento dos pais. 

Eles reclamam, se queixam, porém, de alguma forma continuam fazendo com que essas atitudes se repitam, ou acreditam não poder fazer nada para mudar. Quando, na verdade, continuam “mimando” esses filhos.

Uma mulher se queixou de sua filha de 24 anos, dizendo que começou a fazer três cursos e interrompeu porque não gostou; outra, falou que a sua filha saiu do trabalho porque não gostava do chefe. Nos dois casos, as jovens interromperam o que estavam fazendo porque não suportaram as frustrações, pois ao menor sinal de uma contrariamento, abandonaram o que estavam fazendo. 

Quando escutamos essas mulheres, mães, fica evidente que por “trás” dessas queixas reside um comportamento que de alguma forma contribui para que seus filhos façam o que estão fazendo. Pois, se com uma palavra dizem para eles crescerem, com um comportamento deixam claro que querem que permaneçam crianças. Algumas vezes chegam ao cúmulo de chamarem seus filhos de crianças ou de bebês. Recusando-se a aceitar que os mesmos cresceram. Para exemplificar: uma mãe na entrevista estava se queixando que seu filho de 6 anos faz xixi na cama, tem enurese noturna. Enquanto falava, deixou escapar que por “conta disso” coloca fralda nele quando ele vai dormir. 

Questionei essa atitude, e ela me disse que faz isso para que seu filho “não fique molhado” e “incomodado” e para poder ter uma noite de sono tranquila. Falei que dessa forma ficava difícil que ele mudasse seu comportamento, pois se ele não se incomodar, como mudaria tal fato? Sem perceber, essa mulher demandava que o filho continuasse fazendo xixi na cama. Isso significa que quando ela colocava a fralda nele, a mensagem – inconsciente – que transmitia era: “pode fazer xixi na cama”. 

Vemos com isso, que ele tinha poucas chances de fazer o contrário. Portanto, para que os filhos cresçam saudavelmente é importante que os pais permitam. Quando eles não estão permitindo é porque existem “entraves” que os impedem. Possivelmente, algo associado à história pessoal e inconsciente de cada um. 

A escuta dessas queixas é importante para que cada pai e mãe descubra os entraves que funcionam como amarras invisíveis que impedem seus filhos de crescerem normalmente. 

20/03/2012

Andreneide Dantas
Psicanalista e Psicóloga  

 

#escutaanalitica1

Fechar Menu